menu
Topo
Alto Astral

Alto Astral

Categorias

Histórico

Planetas e astros afetam os signos? Veja como eles podem mudar sua vida

Universa

2009-12-20T18:04:00

09/12/2018 04h00

(Foto: iStock)

Todo signo é regido por um corpo celeste – um planeta, o Sol ou a Lua. Isso significa que o horóscopo inteiro é guiado pelas forças e energias dos regentes, cada qual com sua particularidade. Além disso, os planetas e astros influenciam diretamente nas características e peculiaridade das casas zodiacais.

Débora Gregorino, astróloga da MOOND (Moond Astrologia, no Instagram), explica que, desde a antiguidade, acredita-se que "os corpos celestes são mensageiros dos deuses, encarregados de trazer aos homens presságios acerca do seu destino". Segundo ela, a astrologia considera dez deles: Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão.

Veja também

"Há dois séculos, os astrólogos só conheciam os planetas visíveis a olho nu e se limitavam a eles para elaborar um mapa astral, além do Sol e da Lua. As descobertas de Urano; em 1781; Netuno, em 1846; e Plutão, em 1930; forneceram elementos complementares na interpretação para os astrólogos modernos", comenta.

A seguir, Débora apresenta os regentes dos signos e como cada um reflete na respectiva casa do zodíaco.

Áries

O primeiro signo é regido por Marte, o planeta vermelho, que na mitologia grega é Ares, o deus brutal, amante da guerra e semeador da discórdia. O planeta governa a vontade, a autoafirmação, a sexualidade, a ação, a energia, a autopreservação, a paixão, entre outras coisas. Por isso, Áries possui atributos que têm a ver com essa energia: agressividade, impulsividade, irracionalidade, competitividade, agilidade e gosto por armas e velocidade, por exemplo.

Touro

A regência é de Vênus que, na mitologia grega, é Afrodite, a deusa do amor e da beleza. O planeta surge no céu sempre no crepúsculo, à espera do anoitecer, ou no alto do céu da madrugada, anunciando a chegada do novo dia. Vênus representa o prazer nas suas mais variadas formas, assim como tudo o que é considerado esteticamente belo e, ainda, o amor.

E oferece ao hedonista Touro o apreço pelos bens materiais e prazeres da vida.

Gêmeos

O signo do mês de junho é regido por Mercúrio, o deus mensageiro com asas nos pés. Na mitologia grega, ele é retratado por Hermes que, entre muitos atributos, faz a ponte entre o céu e a terra. Por ser o planeta mais próximo do Sol, raramente é visto a olho nu. Mercúrio exprime a comunicação, os processos cognitivos, o pensamento, a memória, a inteligência, o movimento, as pequenas viagens e dá a Gêmeos o raciocínio rápido, a curiosidade, a eloquência, a adaptabilidade e o dom para se comunicar bem.

Câncer

É regido pela Lua, astro mais próximo da Terra, que influencia o humor, as emoções, os gostos e os hábitos, da mesma forma que afeta as marés e todos os líquidos dos nossos corpos e a agricultura. A Lua está associada à Ártemis, deusa da fecundidade na mitologia grega. A estrela regente cede a Câncer a sensibilidade, a fertilidade, o humor variante e o dom de cuidar como uma boa mãe.

Leão

Como não poderia ser diferente, é regido pelo Sol, a estrela central do nosso sistema, que propicia a vida. Na antiguidade, entre as mais diversas culturas, o Sol era considerado uma das mais importantes divindades. Na mitologia grega, associa-se a Apolo, o deus da juventude, das profecias e da luz. Revela a essência, a fonte de vida, o calor e a luz. Para Leão, o astro-rei traz  generosidade, alegria de viver, criatividade, egocentrismo, vitalidade, afetuosidade, autoconfiança, capacidade de realização e expressão da própria personalidade.

Virgem

Assim como Gêmeos, é regido por Mercúrio – chamado Hermes na mitologia grega. Como representante da comunicação, do pensamento, da memória, da inteligência e dos processos cognitivos, transfere para Virgem o pensamento lógico e objetivo, a praticidade e a atenção ao detalhes.

Libra

Divide com Touro a regência de Vênus – correspondente a Afrodite, na tradição grega. É figura principal do prazer, do amor e do belo e empresta a Libra a beleza – o nativo libriano costuma ser bonito e chamar atenção por esse motivo. O gosto apurado para as artes, a moda e a decoração também são reflexos venusianos. O charme natural e o fato de Virgem estar sempre envolvido em algum romance também têm a ver com a energia do planeta.

Escorpião

A regência é de Plutão – para os gregos, Hades, o deus das profundezas subterrânea que reina sobre os mortos. O último planeta do sistema solar é um pequeno poderoso, que simboliza, ao mesmo tempo, a luz e as trevas, a vida e a morte, o calor e o gelo. Plutão oferece a Escorpião a força para se regenerar, a capacidade de renascer das cinzas, tal a mitológica fênix. Além disso, cede a visão por trás das aparências, a atração pelo que é oculto e profundo e a intensidade emocional – para Escorpião, é sempre tudo ou nada.

Sagitário

Regido por Júpiter – Zeus, a maior divindade do Olimpo, na mitologia grega. É o maior planeta do sistema solar, proporcional à sua energia expansiva. Tudo o que influencia costuma aumentar, seja para o bem ou para o mal. Júpiter governa as leis, a filosofia, as religiões, os estudos superiores, as viagens longas, o contato com o exterior, entre outros cenários. O planeta presenteia Sagitário com otimismo (até um pouco exagerado), visão de longo alcance, ética, gosto por aventuras e grande capacidade intelectual.

Capricórnio

O signo de Capricórnio é regido por Saturno – Cronos, o senhor do tempo que engole a cria viva para os gregos. De forma simplista, Saturno é associado à miséria, às limitações e às dificuldades, uma energia mal compreendida. Saturno é o senhor do carma e da ordem, o que significa que, sem ele, apenas o caos poderia existir. O planeta governa tudo o que resiste através do tempo, sólido o bastante para durar, assim como as estruturas. Ao capricorniano, ele cede a constância, a paciência, a cautela, a responsabilidade, a resistência, a solidez, a praticidade e a ambição.

Aquário

A décima primeira casa do zodíaco é regida por Urano, o nome grego do Céu, filho de Gaia (a Terra), sem a participação do princípio masculino. Descoberto em 1781, demorou a ser aceito pelos astrólogos da época, pois colocava em xeque o sistema tradicional. Com o avanço da era moderna, Urano começou a ser reconhecido e tornou-se o símbolo do início dessa mesma época. Assim, é considerado como o regente do progresso, da tecnologia, das novidades e das descobertas da ciência. O planeta presenteia Aquário com a capacidade de ser visionário e o dom de agregar as pessoas em prol de uma causa, mas também concede a imprevisibilidade, o temperamento rebelde e transgressor.

Peixes

É regido por Netuno que, na mitologia grega, é Poseidon, o deus dos mares. Não à toa, representa os mistérios e as dimensões intangíveis, que estão para além da percepção dos sentidos. O planeta simboliza o idealismo, a cura, a espiritualidade, a intuição, o sacrifício e a dedicação aos outros, bem como o misticismo. Em Peixes,  Netuno reflete a compaixão, a imaginação fértil, a intuição aguçada, o poder de captar o pensamento coletivo, a sensibilidade, a sutileza e a criatividade artística.

Claudia Dias, colaboração para Universa

Sobre o blog

Curiosidades, listas e previsões: tudo sobre os signos do zodíaco.