menu
Topo
Alto Astral

Alto Astral

Categorias

Histórico

Marcar cesariana para escolher o signo do filho dá certo?

Universa

2024-04-20T18:04:00

24/04/2018 04h00

Picture of a spaceman (Imagem: iStock)

Por Camila Eiroa, em colaboração para Alto Astral 

Não é difícil ouvir falar que algumas cesarianas são marcadas pensando, também, no signo que o bebê virá. Seja pela astrologia, pela numerologia ou pela Cabala, antecipar ou atrasar um parto é uma realidade de muitas mães. Os motivos são diversos, para coincidir com datas comemorativas ou simplesmente evitar que a criança nasça regida sob um signo julgado como negativo pelos pais. O caso mais famoso é o da jogadora Hortência que, com o ex-marido José Victor Oliva, pagou o astrólogo Quiroga para planejar o nascimento dos filhos através da leitura de mapa astral.

Veja também:

A decisão é vista por muitos como polêmica, principalmente para quem defende a humanização do parto e um acompanhamento que respeite o ciclo natural da gestação. Mas, ainda assim, nos casos em que a cesárea se faz necessária, quando não é a mãe que escolhe a data, o parto é encaixado na agenda do médico. Por mais que o dia seja o mesmo escolhido pelos pais, o horário influencia o ascendente, que pode acabar com a idealização de um filho astralmente perfeito. "Se você só olhar pro signo solar, vai ignorar todos os outros fatores da astrologia que falam sobre a personalidade de uma pessoa", lembra o astrólogo Ricardo Mira.

Mira se posiciona contra o agendamento proposital de cesarianas com o objetivo de escolher o signo do bebê. "O ser humano está constantemente tentando controlar a vida por uma questão de insegurança, enxerga só uma parte muito pequena, que é o ego. Quer que ele e o filho sejam os melhores. Mas ele não sabe o que é bom. É um equívoco achar que a gente pode controlar a natureza", afirma. O astrólogo alerta que os signos são a própria natureza manifestada através das estrelas e que a natureza, por sua vez, se manifesta em todos os seres. "É uma coisa muito maior para o ego humano querer controlar."

A atriz Ana Paula Tabalipa também planejou o parto de um dos filhos influenciada pelos astros. Ela antecipou a data para que a criança não fosse virginiana, mas leonina. Altamente criticada nas redes sociais, Ana Paula contou, na época, que o menino nasceu quase prematuro e precisou ficar na UTI, isso devido à sua escolha. O resultado foi um nativo de Leão com ascendente e lua em Virgem. "Por que achar que um signo é melhor do que o outro? Isso cria um monte de preconceito na cabeça das pessoas, que passam a ter uma atitude equivocada e não deixam a natureza se manifestar", afirma Mira.

Efeitos colaterais

Para o astrólogo, é um esforço inútil. "Não adianta escolher o mapa astral do seu filho sem ver as necessidades a serem trabalhadas no seu próprio mapa. O jeito que seu filho vem ao mundo é o jeito que ele precisa vir pra transformar você. É normal que as pessoas com quem a gente se relaciona tenham aspectos que conflitem com o nosso mapa, mas é justamente para trabalhar nossos karmas. E as pessoas ficam fugindo disso, achando que a vida é manipulável. É uma atitude que demonstra a vontade de dominar o próprio filho em vez de cumprir com o papel de um pai: deixá-lo seguir seu próprio caminho. Imagina um pai desse na hora que o filho quiser escolher uma profissão?", diz.

O que acontece com uma criança que não nasce na hora que deveria? O astrólogo Ricardo Mira enxerga os dois lados dessa situação. Quando a cesárea acontece por necessidade, é como se ela já estivesse predeterminada a acontecer no mapa de mãe e filho enquanto experiência para ambos. "Tem que tomar isso como fenômeno cósmico. A criança naquele momento ainda não tem livre arbítrio para interferir na decisão do seu nascimento. Mas o mapa astral é o da primeira respiração, então não necessariamente tem que pensar no que aconteceu antes, o momento do nascimento é aquele. A partir disso está tudo certo, a natureza se reconstrói", acredita.

Já para os casos do planejamento "astral", o astrólogo provoca: "Será que a partir do nascimento os pais vão deixar a natureza do filho se manifestar? É uma tendência que deve se repetir por toda a vida. O problema karmático disso é justamente a dominação que em algum momento vai dar problema, como uma crise de adolescente por exemplo. Os filhos servem para questionar os pais, não para serem cópias ou realizarem o que os pais não conseguiram". Já sobre o julgamento sobre o que seria um signo bom e um signo ruim, Mira lembra que só um astrólogo pode projetar um mapa "bom", ainda que o conceito de mapa bom e mapa ruim seja relativo, já que na abordagem moderna e ocidental da astrologia, tudo é bom porque tudo é um processo.

"A astrologia é uma ferramenta especulativa e as pessoas piram em cima disso, justamente porque a cabeça está procurando esses instrumentos para trazer algum conforto. Existe uma necessidade de se sentir seguro com coisas que não são concretas. É por essas atitudes que cada vez mais fica evidente a maturidade mental que um astrólogo precisa ter… As pessoas são infantis, usam a astrologia para obter poder e não autoconhecimento. A cesária é mais uma grande fuga da própria vida, mas que não consegue controlar o incontrolável, que é a natureza", finaliza o astrólogo.

Sobre o blog

Curiosidades, listas e previsões: tudo sobre os signos do zodíaco.