menu
Topo
Alto Astral

Alto Astral

Categorias

Histórico

Tarô diz o que você precisa melhorar: descubra a carta de cada signo

Universa

14/12/2018 10h55

(Foto: iStock)

Mapa astral, cristais, ervas e tarô. Esse é o combo perfeito para quem gosta de misticismo, energia e autoconhecimento. O que pouca gente sabe é que, para cada um dos doze signos do zodíaco, existe um arcano do tarô. "Os signos são entendidos por um conjunto de características que formam a personalidade de cada pessoa. As cartas do tarô trazem essas características junto de reflexões, compreensões de seus aspectos negativos e conselhos de como melhorar o que precisa ser melhorado. Desse jeito, podemos pensar em como trazer mais leveza e fluidez para a vida da pessoa sob essa influência", explica a taróloga Mayara Tavares.

Então, dentro dos 22 arcanos maiores do tarô, existem 12 que se relacionam diretamente a cada signo. Isso se deve ao fato de cada um deles representar um traço de personalidade.

Veja também:

Agora, cada pessoa de um signo vai ter uma carta de tarô como um amuleto? "De certa maneira sim, mas não necessariamente aquela que corresponde ao seu signo", conta Mayara.

A taróloga explica que, da mesma forma que o signo solar não define por completo quem é a pessoa, existindo a necessidade de avaliar todo o seu mapa natal para maior compreensão de seus aspectos e aprendizados de vida, a carta de tarô associada ao signo solar pode não fazer tanto sentido para a pessoa. "Já ouviu falar de gente que lê sobre seu signo na internet e não se identifica? Provavelmente isso acontece por toda a influência de seu mapa natal. Por isso a carta de tarô associada pode não ser compreendida."

O conselho da taróloga é refletir sobre a carta correspondente ao signo natal focando em aprendizados em conselhos. Ou, então, descobrir qual seu Arcano da Alma. "É a somatória de todos os números que compõem a data de nascimento. No meu caso 07/10/1992: 0+7+1+0+1+9+9+2=29, não existe carta 29, então diminuímos 2+9=11 – meu Arcano da Alma é então A Justiça – coincidentemente a mesma carta do meu signo, mas nem sempre acontece isso", ensina Mayara.

Leia abaixo a correspondência de arcanos maiores do tarô e signos do zodíaco.

Áries – O Imperador (4)

Sendo O Imperador um arquétipo de alguém firme, racional, conservador, próspero e corajoso, o ariano assume características parecidas ou iguais a essa. Também é uma carta que representa conservadorismo, rigidez e teimosia, bem como o signo de Áries. Os aspectos negativos são se tornar covarde, vil, tirano e seu conservadorismo pode ser prejudicial. Seu aprendizado se desenvolve entre ser mais maleável, prudente, gentil e emotivo.

Touro – O Papa (5)

O Papa é conservador, caseiro, paciente e digno de confiança. Pode ser fanático, teimoso e possessivo, se achando dono da verdade. O taurino tem características bem parecidas com essas e um desejo de se conectar a algo maior. O aprendizado da regência de Touro gira em torno de aceitar a opinião alheia. Sua paciência deve ser utilizada também nesse aspecto, fazendo com que a teimosia seja superada.

Gêmeos – Os Enamorados (6)

Os Enamorados é uma carta que fala bastante de tomada de decisões, de paixões intensas e fugazes, de uma boa adaptação após a tomada da decisão. Porém, pode demonstrar grande indecisão, mudança de opinião brusca, instabilidade e falta de persistência. Gêmeos é um signo mutável, tendo além da facilidade de comunicação essa instabilidade recorrente. Seu aprendizado se desenvolve em torno de encontrar estabilidade, decidir algo e persistir em sua decisão.

Câncer – O Carro (7)

O Carro encontra um objetivo e vai atrás dele não importa o que há no caminho. É intenso, crédulo, cuidadoso e determinado. Pode atropelar tudo o que vê na frente para alcançar o que quer e pode, para isso, tentar fazer uma certa manipulação que beira o vitimismo. O canceriano é maternal, intenso e se deixa levar por suas emoções, podendo se sentir ofendido facilmente. Seu aprendizado é medir forças, saber a hora de parar e compreender a intensidade existente dentro de si.

Leão – A Força (11)

A Força é uma carta que fala de força interior. Pode usar a força no sentido agressivo, pensando somente em si e não compreendendo os limites entre o que é seu e o que é do outro. O leonino com sua forte presença tende a demonstrar grande força de fato, porém, se mal compreendido, sua vaidade fala mais alto e o egocentrismo aparece. O aprendizado é saber utilizar suas forças internas a seu favor  com diplomacia, buscando o bem de todos.

Virgem – O Eremita (9)

O Eremita percorreu caminhos sinuosos e adquiriu experiências de vida que lhe dão o status de conhecedor das coisas. Pode se tornar solitário e até mesmo mesquinho, justamente por sentir que não há mais nada que alguém possa lhe ensinar. Virginianos são metódicos, exigentes, perfeccionistas e melancólicos. O aprendizado dessa carta é diferenciar solidão de solitude, aprender a andar com as próprias pernas sem esquecer suas origens e quem o auxiliou a chegar até aqui.

Libra – A Justiça (8)

A carta da Justiça pede cautela, diplomacia e equilíbrio. Pode fazer julgamento do próximo, frieza fora do comum beirando a apatia e uma tentativa de tentar agradar a qualquer custo. O libriano não é necessariamente indeciso, porém está sempre em cima do muro com medo de desagradar alguém. Seu aprendizado é ter suas opiniões sem julgar o próximo, compreender que tentar agradar a todos não funciona. A carta da justiça traz a noção de que esse equilíbrio é necessário para toda decisão que deve ser tomada.

Escorpião – A Morte (13)

A Morte é uma das cartas mais erroneamente temidas do tarô. Apesar de todos acharem que ela assusta porque parece falar de morte no sentido de fim da vida, seu real significado de transformação também assusta. Ela pode ser cruel trazendo transformações dolorosas. Escorpião é o signo mais ligado ao mistério, ao que há de escondido e obscuro, portanto, muito mais próximo da morte. Seu aprendizado é deixar ir. A possessividade precisa ser vencida.

Sagitário – O Louco (0-22)

O Louco é a carta de número zero, vindo no início e no fim de todo o ciclo, representando o viajante, aquele que inicia uma nova jornada. É uma figura impulsiva, entusiástica e otimista. Pode falar de alguém perdido, irresponsável e distraído. Sagitário costuma ser associado a liberdade, viagens e desapego. Seu aprendizado é o de se comprometer com o que está por vir, sem se distrair, e pensar nos próximos passos.

Capricórnio – O Diabo (15)

A carta Diabo fala das tentações terrenas, como o dinheiro e vícios, além da busca por conhecimento e poder. Pode demonstrar características de dominação, rancor, egoísmo e crueldade. Capricórnio é um signo de terra, cujos interesses em responsabilidade, profissionalismo e tradições é bastante intenso. O aprendizado aqui é o de desapegar-se das coisas terrenas, sabendo dar as costas a vícios, sempre buscando a luz e um certo desapego.

Aquário – A Estrela (17)

A Estrela é uma carta que contém uma mulher nua, demonstrando sua total libertação do que é socialmente correto. Tem como característica a independência das máscaras sociais, a esperança num futuro melhor e uma forma visionária de agir. Pode trazer grande desesperança e melancolia perante os males do mundo. O aquariano olha para frente, em direção ao futuro, e apesar de ser um signo fixo, ele se fixa nas ideias do que pode vir a ser. O aprendizado é manter os pés no chão.

Peixes – A Lua (18)

É uma carta de grande introspecção, intuição e mistérios ocultos. Pode falar sobre ilusões, grandes idealizações e alguém que não quer enxergar as coisas como elas realmente são. Peixes é um signo bastante sonhador e intuitivo, por isso sua associação aqui. O aprendizado relacionado a essa carta é o de ouvir sua própria intuição, acreditar nas forças da natureza que estão presentes dentro de nós mesmos e saber identificar os perigos ao seu redor.

Camila Eiroa em colaboração para Universa

Sobre o blog

Curiosidades, listas e previsões: tudo sobre os signos do zodíaco.